Clube Ciência Viva

logo-clube.png

Atividades 20/21

Ecoespaço

Ciência Viva   

Master Classes

Eratóstenes 2020

Cientistas de Palmo e Meio

Atividades 19/20

Ecoespaço

Caça aos asteróides

Ciência Viva   

IYPT 2019

Eratóstenes 2019

TEC. XXI

Cientistas de Palmo e Meio

Master Classes

O Clube de Ciência, Tecnologia, Ambiente e Astronomia pretende promover a cultura científica e a educação para a ciência e tecnologia, através de uma intervenção colaborativa entre todos os membros da comunidade educativa, participando em iniciativas a nível nacional e internacional.

Este projeto parte da premissa que o Ensino das Ciências no séc. XXI não se pode confinar aos manuais escolares e às salas de aula, uma vez que a escola representa um meio privilegiado para a aquisição das competências indispensáveis ao desenvolvimento duma cultura científica e de uma cidadania crítica e participativa. A escola do séc. XXI, tendo em conta os desafios que atualmente se colocam à sociedade, deve contribuir para que os alunos sejam autónomos, críticos, criativos, que aliem conhecimento a capacidade de pesquisa, análise e que inter-relacionem o que sabem e são capazes de fazer e tenham a capacidade de se relacionar num Mundo multicultural.

O projeto visa promover o trabalho colaborativo e o estabelecer parcerias com instituições ligada à ciência e à tecnologia de Portugal e de São Tomé e Príncipe.

O público-alvo do Clube são todos os alunos da escola, tentando realizar atividades que envolvam alunos do 1º ao 12º ano.

O projeto visa o desenvolvimento de competências complementares entre si e que não estão interligadas de forma hierarquia: informação e comunicação, raciocínio e resolução de problemas, pensamento crítico e pensamento criativo, relacionamento interpessoal, autonomia e desenvolvimento pessoal, bem‐estar e saúde e saber técnico e tecnologias. O projeto deseja contribuir para uma formação humanista sólida e para o exercício de uma cidadania ativa e responsável.

A operacionalização do perfil do aluno para o séc. XXI implica repensar práticas e criar pontes os currículos das diferentes disciplinas, potenciando o trabalho de projeto interdisciplinar e o desenvolvimento de competências-chave.

Pela natureza intrínseca dos projetos de índole científica, o Clube de Ciências Tecnologia e Ambiente pode contribuir, em articulação com os restantes Clubes e Projetos e áreas disciplinares curriculares da Escola Portuguesa de São Tomé e Príncipe – Centro de Ensino da Língua Portuguesa para o desenvolvimento de alunos capacitados para enfrentar os vários desafios que o séc. XXI coloca à Humanidade."

O Clube de Ciência, Tecnologia, Ambiente e Astronomia integra a Rede de Clubes Ciência Viva na Escola.

São 237 os Clubes que nesta fase integram a “Rede de Clubes Ciência Viva na Escola” e abrangem todos os distritos de Portugal Continental e, aproximadamente, 40% dos concelhos nacionais. Também há Clubes em escolas das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores e em Escolas Portuguesas no estrangeiro.

 

Os Clubes Ciência Viva funcionam nas escolas como espaços abertos de contacto com a ciência e a tecnologia, para a educação e para o acesso generalizado dos alunos a práticas científicas, promovendo o ensino experimental das ciências e das técnicas. 

Contactos: c2taepstp@gmail.com

 

Agradecimentos:

agradecimentos_clube_cienc.png

Eco Espaço

2º Período -2020

 

- Temas abordados:

3 a 5 minutos a falar sobre ambiente!

A degradação dos recursos naturais, a extinção das espécies da fauna e flora, o aquecimento global devido à emissão de gases poluentes, a gestão insustentável dos resíduos têm feito a questão ambiental ocupar um lugar de destaque nos debates internacionais devido à ameaça que acarreta para a sobrevivência humana. Deste modo, através da comunicação social, numa rádio de São Tomé e Príncipe, no programa "Escola Portuguesa em Ação" – rubrica Eco-Espaço os alunos abordam e debatem questões sobre estas problemáticas. Os temas escolhidos em cada programa visam alertar a sociedade santomense e a nível mundial para a preservação do nosso planeta.

Temas Abordados:

1º Período

 

- Parlamento dos Jovens 2019:

      - Aquecimento Global

- Ecoatitudes

- O problema do lixo em STP

- Grafeno: o material do século

- Problema da desflorestação

cinema.png
cinema.png

2º Período

3º Período

Voltar ao início

Caça aos asteróides

Nos meses de novembro e dezembro um grupo de alunos da Escola Portuguesa de São Tomé e Príncipe – CELP, envolveram-se ativamente na Campanha de “Caça a Asteroides”. Esta atividade do “All Asteroid Search Campaign organizada pela International Astronomical Search Collaboration (IASC) e representada em Portugal pelo Nuclio Interativo de Astronomia (NUCLIO) está integrada no programa “Near – Earth Object” (NEO) do Jet Propulsion Laboratory da NASA.

Este projeto pretende promover a investigação científica em Astronomia, nas escolas, através da análise de imagens do céu noturno.

Depois de 6 semanas de observação de imagens espaciais, os alunos, conseguiram identificar alguns objetos móveis não-identificados. As monitoras, Ayla Santana, do 9º ano, Marta Sobgui e Nayara Pontífice, do 11º ano, foram incansáveis e sempre atentas para que nenhum “candidato a asteroide” escapasse.

foto01-12-2019.jpg

Ver PDF

Os alunos da Escola Portuguesa de São Tomé e Príncipe – Centro de Ensino e Língua Portuguesa (EPSTP-CELP) participaram novamente no projeto “A caça aos asteroides”, uma atividade do “All-Portugal Asteroid Search Campaign” organizado pelo IASC (International Astonomical Search Collaboration), representado em Portugal pelo NUCLIO (Núcleo Interactivo de Astronomia), integrado no programa “Near-Earth Object” (NEO) do Jet Propulsion Laboratory da NASA.

A tarde de segunda-feira é dedicada a caçar asteroides com a orientação das monitoras Camila Raposo e Marta Sobgui do 10º CT. Este projeto pretende promover a investigação científica em Astronomia, nas escolas, através da análise de imagens do céu noturno. 

Caça aos asteroides.jpg

Ver PDF

cinema.png

Ver Filme

Voltar ao início

Ano Internacional da Tabela Periódica (IYPT2019)

A Tabela Periódica é uma das mais espantosas criações da Humanidade. Este facto é em 2019 assinalado por uma resolução das Nações Unidas e da UNESCO que visa a celebração desta criação.

 

Um dos momentos marcantes da história da ciência, ocorreu em 1869, quando o russo Dmitri Ivanovich Mendeleev publicou no jornal da Sociedade Russa de Química um estudo sobre a classificação sistemática de todos os elementos químicos conhecidos (63) à data.

 

No ano de 2019 é assinalado por todo o Mundo o Ano Internacional da Tabela Periódica, quando passam 150 anos desta extraordinária criação. A Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou o ano de 2019 como Ano Internacional da Tabela Periódica.

 

A Tabela Periódica é um ícone da Ciência e a Química ocupa um lugar central no conhecimento científico, com múltiplas interfaces e áreas de saber interdisciplinar com as outras áreas do saber. A Química contribui de forma decisiva para a resolução dos grandes problemas da humanidade, numa ótica de desenvolvimento sustentável, nas áreas do ambiente, energia, alimentação ou saúde.

 

Uma série de posteres, na Biblioteca, sobre a Tabela Periódica e os elementos químicos irão promover a consciencialização da comunidade educativa para o papel da Química enquanto ciência promotora do desenvolvimento e bem-estar.

IYPT3.jpg
IYPT2.jpg
IYPT1.jpg
Revista ciencia.jpg

Ciência elementar, dedicada ao Ano

Internacional da Tabela Periódica.

Voltar ao início

Eratóstenes 2019

Medição engenhosa do perímetro do nosso planeta recorrendo a noções de trigonometria e Astronomia, com recurso do comprimento da sombra de vara de 1 m em duas escolas diferentes durante o meio dia solar, no dia 21 de março.

 

Colaboração Escola Portuguesa de São Tomé e Príncipe - centro de Ensino e Língua Portuguesa / Lycée Jean Moulin (Draguignan, France)

 

Voltar ao início

17ª Edição das Masterclasses Internacionais em Física de Partículas

Ser Cientista por um dia...
Com as Mãos nas Partículas
Masterclasses Internacionais para Estudantes do Ensino Secundário 2021

"Vem descobrir o mundo dos Quarks e Leptões com acontecimentos reais".

Masterclasses Internacionais em Física de Partículas é um evento promovido pela Organização Europeia para a Investigação Nuclear (CERN) e tem como objetivo mostrar aos jovens entre 15 e 18 anos o tipo de atividades que são desenvolvidas na Física Experimental de Partículas.

 

 

Em São Tomé e Príncipe, a ação é organizada pela Faculdade de Ciências e das Tecnologias da Universidade de São Tomé e Príncipe, durante a manhã e tarde do dia 20/03/2021.

Iniciou-se o programa deste dia com apresentações de vários professores sobre estas temáticas: O prof. Carlos Miguel falou das partículas fundamentais da matéria, o prof. António Almeida, a temática foi “Aceleradores de partículas” e o prof. Ajala Capela sobre “Detetores de Partículas”.

As atividades começaram com um "curso de treino" onde são ensinados  os fundamentos da Física de Partículas e as Técnicas básicas usadas na análise de acontecimentos.

Numa segunda parte foram fornecidos aos jovens um conjunto de imagens de acontecimentos reais, adquiridos em LHC no CERN,  sendo solicitada a sua classificação por categorias segundo o tipo de acontecimento, obtendo-se no final após as devidas correções uma estimativa das frações correspondentes a cada tipo de decaimento. Os resultados são depois associados aos dos vários grupos e discutidos em videoconferência com os outros grupos de visita às restantes Universidades portuguesas e estrangeiras aderentes ao evento nesse dia.

A ação decorreu entre as 8 h manhã e as 16 h do dia 20 de março e os participantes almoçaram nas instalações desta universidade.

Esta ação visa sobretudo alunos dos 10º, 11º e 12º anos, especialmente motivados para a disciplina de Física, 6 alunos da Escola portuguesa, do 10º ano, acompanhados da sua professora Gabriela Rodrigues e alunos do Liceu Nacional, acompanhados de um professor, Carlos Miguel. 

 

Os alunos tiveram um comportamento exemplar e mostraram-se muito interessados e empenhados nas tarefas desenvolvidas, neste evento que é sempre uma mais valia para quem quer alargar conhecimentos e abrir horizontes.

A organização deste evento foi do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais e Clube Ciência Viva.                       

 

                                                                                                                      20 de março de 2021

Imagem6.png
Imagem3.png
Imagem2.png
Imagem4.png
Imagem3.png

Voltar ao início

15ª Edição das Masterclasses Internacionais em Física de Partículas

Ser Cientista por um dia...

Com as Mãos nas Partículas

Masterclasses Internacionais para Estudantes do Ensino Secundário 2019

"Vem descobrir o mundo dos Quarks e Leptões com acontecimentos reais".

No dia 30 de março, centenas de alunos deslocaram-se a Universidades para participar numa das sessões da 15ª Edição das Masterclasses Internacionais em Física de Partículas. Neste dia, em língua portuguesa, decorreram atividades em Portugal (Coimbra - FCTUC, Covilhã – UBI e Lisboa – IST), São Tomé e Príncipe (São Tomé – USTP) e no Brasil (Minas Gerais - UFLA). Pela primeira vez foi possível ter alunos em tês continentes, numa edição totalmente em português, realçando a língua portuguesa como laço de união entre países.
As Masterclasses Internacionais em Física de Partículas são uma iniciativa do CERN, sendo que milhares de estudantes do ensino secundário, em todo o mundo, são convidados a experimentar o que é ser físico de partículas por um dia. Conceitos como “fermião” ou “Bosão de Higgs” são tornados próximos dos alunos, desmitificando a Física das Altas Energias.
A atividade é dividida em duas partes, incluindo o programa de manhã diversas palestras sobre os conceitos fundamentais da Física de Partículas, do infinitamente pequeno ao infinitamente grande. 
A segunda parte foi dedicada à identificação de partículas para identificar possíveis candidatos a bosão Z ou de Higgs – a partícula cuja descoberta foi anunciada no CERN em 2012, através da utilização dados reais provenientes do detetor ATLAS e da ferramenta informática HYPATIA. A atividade culminou com uma videoconferência, onde participaram todos os alunos envolvidos durante o dia 30 de março e 2 físicos do CERN.
Por último, um especial agradecimento ao Professor Doutor Pedro Abreu (LIP - IST), elemento fundamental para a divulgação da Física das Partículas em São Tomé e Príncipe e instigador de inúmeras atividades que decorreram na Escola Portuguesa de São Tomé e Príncipe – Centro de Ensino e Língua Portuguesa e à Universidade de São Tomé e Príncipe, em particular, aos professores Manuel Penhor e Lúcio Carvalho.
Mais informações disponíveis em

 

https://www.lip.pt/masterclasses/index.php?id=0

Voltar ao início

TEC. XXI

A Informática, a Tecnologia, a Comunicação e a Programação têm uma presença perene na nossa sociedade. O autor Arthur C. Clarke, ao afirmar, “Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da magia."

Enfatiza a necessidade de divulgar o conhecimento e promover a literacia científica da sociedade. A Escola tem um papel central na promoção de competências, atualmente resumidas no “Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória” (ME, 2017). A programação permite cativar os alunos, ao mesmo tempo que também promove a aprendizagem por resolução de problemas e o desenvolvimento de competências essenciais para a sociedade do século XXI e transversais a várias áreas do saber.

 

No atual momento, com a tomada de consciência que a robótica pode oferecer opções mais eficientes e com menores custos para inúmeros postos de trabalho e os desenvolvimentos na área da Inteligência Artificial, o valor acrescentado que um país pode ter é uma população com elevados níveis de literacia, criativa, crítica, com valores humanísticos e aberta ao conhecimento e à mudança.

O pensamento computacional, a programação e a robótica, são uma mais-valia para qualquer pessoa, uma vez que permitem desenvolver um vasto conjunto de competências transversais a várias áreas do saber e que cativa a atenção dos alunos de forma considerável. O desenvolvimento destas competências é deveras profícuo, pois envolve a aprendizagem através da resolução de problemas.

Os objetivos a alcançar são:

  • Programar em Scratch, Java e C;

  • Programar Arduíno e Raspberry Pi;

  • Divulgar o tema da Internet das Coisas (IoT) junto da comunidade educativa;

  • Construir protótipos de sistemas de domótica, com acesso em qualquer parte do mundo.

Voltar ao início